Serviços

São vários os serviços em que a Houselab pode ajudar os proprietários de imóveis.

Projetos de Reabilitação

A sociedade de hoje, numa tentativa de inverter as tendências do passado, volta-se a virar para os centros antigos das cidades. A esta mudança de perspetiva está associada a reabilitação do património edificado antigo. Principalmente em Portugal, ainda existe o conceito, embora errado, de que a reabilitação para além de não saber dar resposta às exigências de conforto atuais, é mais cara que a construção nova.

Esta ideia já foi há muito abandonada pelos restantes países da Europa, sendo que, em muitos destes, o volume de obras reabilitadas já é maior que a construção nova. É em busca desse paradigma que a Houselab se propõe como entidade com capacidade de dar resposta na elaboração de todos os projetos essenciais para a realização de uma reabilitação em todo o esplendor da palavra.

acoustic-refurbishment-solution

Em algumas situações, a reabilitação de edifícios não obriga à existência de projetos de Engenharia e Arquitetura para o seu processo de licenciamento. Porém, a entrega da construção destas obras a uma Empresa de Construção, sem a existência de um parecer técnico ou de um projeto, é frequentemente uma péssima opção./p>

A reabilitação, mesmo de um pequeno edifício, é um processo complexo que requer a máxima reflexão em todas as ações. A compatibilização entre os materiais antigos e os novos nem sempre é possível, assistindo-se frequentemente a intervenções de reabilitação pouco cuidadosas que agravam o envelhecimento do edifício e que em nada contribuem para o aumento de conforto dos ocupantes.

Recomenda-se que os Donos de Obra contratem sempre técnicos que pensem a reabilitação do seu edifício, aos diferentes níveis, de forma a terem um edifício confortável e sustentável.

Pareceres Técnicos

Frequentemente deparamo-nos com patologias nos edifícios. Algumas dessas patologias acontecem precocemente por erros claros dos intervenientes no ato da sua construção que comprometem a durabilidade dos materiais aplicados. Noutros casos as patologias ocorrem devido ao facto de se ter ultrapassado a vida útil prevista para esses materiais.

Em ambos os casos, o recurso a um Engenheiro e Arquiteto para a elaboração de um projeto de reabilitação é uma possibilidade para os casos em que a reabilitação é praticamente generalizada. Em casos pontuais, os projetos podem ser substituídos por pareceres técnicos onde se identificam as patologias, definem-se as causas da sua ocorrência e propõem-se uma metodologia para os trabalhos de reparação. Nestes casos os pareceres técnicos serão a base para o trabalho da Empresa de Construção à qual será adjudicado o trabalho.

É recorrente que para a elaboração dos pareceres técnicos seja necessária a execução de diversas sondagens e ensaios de forma a que se caracterizem corretamente os elementos construtivos mais importantes e as causas das patologias encontradas.

exemplo-de-sondagens

Exemplo de sondagens de caracterização de elementos construtivos.

Nos casos em que a reabilitação é generalizada, antes da elaboração de um projeto de reabilitação, é também aconselhável a prévia execução de um parecer técnico. A sua utilidade prende-se com a informação ao projetista sobre o estado do edifício e sobre a caracterização construtiva das diversas singularidades que o constituem. Nos casos em que existe um parecer técnico prévio ao projeto, o projetista já tem parte do trabalho efetuado.

Peritagens Judiciais

A Houselab, como entidade idónea, com experiência na realização de peritagens para tribunal, efetua peritagens por solicitação de particulares, empresas e entidades judiciais.

É frequente que um relatório de peritagem se desenvolva de forma idêntica ao que já se descreveu para os pareceres técnicos podendo incidir mais num campo ou noutro dependendo do caso.

Apoio ao Dono de Obra

Em obras de pequena e média dimensão, é usual que o dono de obra, (particulares e administrações de condomínios) contactem diretamente com o empreiteiro. Esta situação é potencialmente arriscada devido aos diferentes conhecimentos técnicos que os intervenientes têm e devido aos pólos opostos de interesse em que se situam (geralmente o dono de obra não possui conhecimentos de construção civil, ao contrário do empreiteiro, para além que o dono de obra quer maximizar a qualidade e minimizar o custo e o empreiteiro quer maximizar o custo e minimizar o risco de aparecimento de patologias imputáveis à sua empresa). Devido ao exposto, é usual existir um representante do dono de obra que defenda os seus interesses. O representante do dono de obra pode atuar em diversas fases do processo construtivo e a diferentes níveis.

Na fase de conceção, construção e gestão do edifício, a Houselab pode ajudar o dono de obra ao nível dos seguintes campos:

  • Escolha dos melhores projetistas para a obra em questão;
  • Detetar alguns defeitos, omissões ou inadequações dos projetos através da sua cuidada revisão;
  • Escolher os materiais mais adequados consoante o gosto e uso futuro;
  • Fazer a “ponte” entre a fase de projeto e a obra através da análise técnico-económica das propostas das empresas de construção civil;
  • Fiscalizar o processo de construção garantindo que os projetos elaborados foram cumpridos, garantindo os interesses do dono de obra em todo o processo construtivo;
  • Acompanhar os primeiros anos de utilização do edifício, apontando eventuais defeitos de construção durante a fase de garantia.

Apoio a Condomínios

A gestão de um condomínio é um processo complexo que necessita de conjugar conhecimentos multidisciplinares para que essa gestão seja eficaz.

No caso da Engenharia e da Arquitetura, as contribuições mais óbvias prendem-se com a conceção de projetos de reabilitação e de pareceres técnicos para fazer fase a diversas patologias existentes, precocemente ou não, nos edifícios.

Contudo, existe uma série de decisões que são tomadas ao longo da vida dos edifícios que alteram drasticamente o modo de funcionamento dos mesmos afetando, inequivocamente, a durabilidade dos materiais aplicados e o conforto dos ocupantes. Neste último ponto, estão incluídas as operações de manutenção dos equipamentos, as pequenas construções nos espaços exteriores e a gestão dos sistemas de ventilação centralizada, por exemplo. A Houselab poderá colaborar com as administrações do condomínio através do seguinte:

    • Pareceres técnicos sobre as patologias existentes nos edifícios – são documentos onde se compilam todas as patologias existentes nos edifícios, indicam-se as causas que estão por detrás dessas patologias e indicam-se os pontos principais onde devem incidir (caso necessário) as intervenções de reabilitação, descrevendo-se, de forma sucinta, a metodologia para a sua reparação. O condomínio pode utilizar estes documentos para exigir a reparação de intervenções anteriores, caso ainda se encontrem na garantia, assim como perceber o real estado de todo o condomínio e ponderar algumas soluções de reabilitações mais urgentes;
    • Projetos de reabilitação, com peças escritas (cadernos de encargos e mapa de trabalhos e quantidades) e desenhadas – após o Condomínio ter decidido avançar para o processo de reabilitação, estes documentos irão servir de base aos empreiteiros para poderem apresentar os seus orçamentos e posteriormente servirá de base de trabalho ao empreiteiro ao qual será adjudicada a obra. A elaboração de projetos por parte de profissionais com reais competências é essencial para se evitarem problemas futuros, fruto de reabilitações mal projetadas;
    • Planos de manutenção edifício a edifício – serão uma maior valia para as administrações dos condomínios pois terão em sua posse um guia de manutenções personalizado para cada edifício, a partir do qual podem também fazer uma estimativa dos custos das várias operações de manutenção a médio e longo prazo, diminuindo os custos imprevistos das operações de manutenção e os custos das reparações;
    • Consultoria de apoio a decisões a efetuar nos edifícios – permite evitar que as decisões a que os edifícios são sujeitos tenham apenas por base critérios económicos a curto prazo. Uma vez que muitas dessas decisões são bastante prejudiciais para os utentes e para o edifício a médio/longo prazo, as mesmas devem ser cuidadosamente avaliadas por alguém com conhecimento técnico na área da construção.